sábado, 1 de agosto de 2009

Contradições da sociedade moderna.



Vivemos em uma sociedade onde o ter vale mais que o ser.
Na sociedade capitalista contemporânea, a pessoas são incessantemente julgadas por tudo e por todos que as cercam, de maneira subjetiva, de acordo com um pensamento instituído e empírico baseado numa doutrina imposta que prega a total materialização do ser.
O que vemos é a total desagregação ética e moral assolando o nosso planeta. As pessoas são boas não pelo que são, mas por tudo aquilo de material que têm. Os consideradas bons não são aqueles honestos, fraternos, amigos, coerentes. Hoje, a sociedade julga os outros pelo carro novo, apartamento bonito, roupa da moda, computador de ultima geração, entre outros valores. É a propagação do materialismo e da futilidade, que culminam com a total ignorância da população do século XXI.
De forma prática, temos o processo histórico criando a idéia, ou seja, o homem não mais produz a história através do seu pensamento, mas ela sim produz o pensamento do homem de acordo com a sua conjuntura, dando continuidade a um ciclo de não-mudança, como conseqüência de uma total alienação em relação aos processos formadores e mantenedores da atual realidade social. Sendo assim, nos tornamos escravos dessa conjuntura e desse sistema que não nos possibilita a compreensão de si mesmo.
A alienação em relação aos processos e aos fenômenos sociais são fatores preponderantes na criação de uma realidade fictícia onde o fetichismo funciona como barreira ao esclarecimento, sendo esta a válvula-chave para o funcionamento desse sistema, marcado por contradições e desigualdades.
Mas pergunto eu: temos nós o direito de reclamar?
Claro, ninguém deseja ser alienado, nem escravo de um sistema, mas algo curioso é o incentivo à comodidade que se vê, de apenas nos adaptarmos à situação, sem procurar compreendê-la em toda a sua profundidade, para aí sim encontrar uma solução.
Esclareço aqui que não estou pregando uma rebeldia em relação ao sistema, como alguns devem estar pensando, mas o que prego é uma mudança de comportamento. O que sonho do fundo do meu coração é com um mundo onde as pessoas não mais serão julgadas por suas contas bancárias ou seus bens materiais, mas sim por seus valores éticos e real maneira de ser.
Pode ser um sonho, pode parecer utópico, mas fica aqui a mensagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário